portugues ingles frances espanhol alemao
Apoio ao Cliente
9H-13H e 14H-18H

212 476 500

Faça Login ou
adira ao Portal Líder

Log In | Novo registo
Bem-vindo/a, Visitante
voltar

Produção na construção em Portugal lidera crescimento na Europa

2017-04-30

Em Fevereiro, a produção na construção em Portugal apresentou um forte crescimento à escala europeia, tendo crescido 3% em termos homólogos, segundo o Eurostat.
Segundo o relatório das estatísticas europeias, em fevereiro, a Zona Euro regista uma variação trimestral positiva de 7,1% face ao período homólogo de 2016. Em termos de variação mensal, face a Janeiro, o crescimento é de 6,9%, claramente superior ao verificado noutros indicadores económicos, como a produção industrial que cai 0,3% no mesmo período, ou as vendas a retalho, com um crescimento de 0,7%, demonstrando a actual liderança do investimento em construção no processo de recuperação económica europeu.

Relativamente a Portugal, a produção na construção cresceu 3% em termos homólogos, valor que é claramente positivo, face à evolução recente deste indicador, mas fica abaixo da média europeia, exclusivamente devido ao comportamento do investimento público.

Com efeito, se em fevereiro, a produção do setor no segmento de edifícios se situou nos 5,9%, praticamente em linha com os 6,2% da zona Euro, nas obras públicas (segmento da engenharia civil), a realidade é totalmente oposta. Portugal teve uma quebra de 1,4%, que compara com os 10,3% da zona Euro.
“O setor está a atravessar um momento mais positivo, que se deve a uma dinâmica do investimento privado e, em particular, do mercado imobiliário, mas continua atrás do que se passa na generalidade da Europa em matéria de investimento público, situação que condiciona claramente a capacidade de crescimento económico e de criação de emprego”, assegura Reis Campos, presidente da CPCI – Confederação Portuguesa da Construção e do Imobiliário.

O responsável assegura que se encontra hoje estabilizado o quadro geral de investimentos em infraestruturas, bem como os mecanismos europeus que o podem financiar. “Está em causa o Plano Estratégico dos Transportes e das Infraestruturas, que foi objeto de um amplo consenso e, ao nível do financiamento, o Mecanismo Connecting Europe, o Plano Juncker e o Portugal 2020, pelo que importa, agora, maximizar as oportunidades de financiamento existentes”, garante.

O dirigente, concluiu considerando “que os indicadores continuarão a ser positivos, mas é essencial colocar no terreno estes programas para que se possa ganhar uma outra escala, colmatando mais rapidamente o espaço que ainda nos separa da restante Europa, uma vez que é imprescindível aproveitar a conjuntura e garantir a competitividade da nossa economia”.

Fonte: http://www.jornaleconomico.sapo.pt/noticias/producao-na-construcao-em-portugal-lidera-crescimento-na-europa-149753

Clandestinidade passou a ser o maior problema da construção
Já não é a falta de obras e já não é a dificuldade no acesso ao crédito. Agora o principal problema com que se debate o sector da construção é a concorrência desleal e

Produção na construção cresce pelo nono mês seguido
A taxa de crescimento registada em Setembro igualou a verificada em Agosto, que já tinha sido a mais elevada do ano. O índice que mede a evolução da produção na

Três projetos portugueses vencem prémio internacional
Um espaço comercial, um centro pastoral e um parque tecnológico portugueses venceram o prémio internacional de arquitetura "The American Architecture Prize

Empresas de construção do Minho podem ter papel importante no México
Portugal tem merecido uma atenção acrescida por parte dos investidores mexicanos. As políticas anti-México de Donald Trump vêm abrir novas oportunidades de negócio com

Crise angolana não abala interesse português na construção
Feira Projekta Angola está de regresso a Luanda de 26 a 29 de outubro A seguir Inflação em Angola deverá subir para quase 23% em 2017 Mais vistas EMOJIS É mesmo isso que quer

DST constrói empreendimento com 50 apartamentos de luxo nas Amoreiras
O Amoreiras Vista terá 50 apartamentos, com tipologias T1 a T6, distribuídos por sete pisos acima do solo. Estará concluído no primeiro semestre de 2019. O grupo DST