portugues ingles frances espanhol alemao
Apoio ao Cliente
9H-13H e 14H-18H

21 247 65 00

Faça Login ou
adira ao Portal Líder

Log In | Novo registo
Bem-vindo/a, Visitante
voltar

Emprego da construção recupera

2019-06-10

Número de trabalhadores na construção não era tão elevado desde 2013, revela a Federação Portuguesa da Indústria da Construção e Obras Públicas (FEPICOP).
A evolução do emprego da construção foi positiva até ao passado mês de março, revela em comunicado a Federação Portuguesa da Indústria da Construção e Obras Públicas (FEPICOP). Segundo a nota, após um decréscimo anual de 0,2% no ano passado, o número de trabalhadores do setor da construção voltou a crescer no primeiro trimestre deste ano, um aumento de 1,6% para os 308,7 mil trabalhadores, face ao mesmo trimestre do ano anterior.

A FEPICOP destaca que desde 2013 que o número de trabalhadores da construção no trimestre inicial do ano não era tão elevado.

O número de trabalhadores da construção aumentou cerca de cinco mil, o que representou 6,5% do acréscimo do emprego total da economia (que cresceu 1,5% nesse período, em termos homólogos), explica a federação.

Em termos globais, a taxa de desemprego neste setor desceu de 7,9% no primeiro trimestre do ano passado (410,1 mil pessoas desempregadas) para 6,8% em igual período deste ano, correspondendo a um número de desempregados a rondar os 353,6 mil.

No que diz respeito ao desemprego oriundo da construção, a evolução foi também positiva, com o número de desempregados do setor inscritos nos centros de emprego a diminuir 26,3% em março, correspondendo a menos 8.907 desempregados do que os registados no mesmo mês de 2018.

A FEPICOP explica que, paralelamente, o consumo de cimento cresceu 20% em termos homólogos até abril, ultrapassando o milhão de toneladas consumidas nos quatro primeiros meses do ano, o que não se verificava desde 2012.

Em termos de procura dirigida ao setor, os indicadores da federação revelam um acentuado dinamismo, quer em termos de investimento privado, quer no que concerne ao investimento público.

Também as licenças de construção evoluíram de forma positiva, com 5.887 novos fogos a serem licenciados até março, o que traduz um crescimento homólogo de 28%.

Quanto ao mercado das obras públicas, o valor das obras lançadas a concurso cresceu 77% até abril, em termos homólogos.

Para este ano, a FEPICOP prevê um crescimento real de 4,0% da produção do setor, uma evolução maior do que a estimada para o ano passado: 3,5%.

Fonte: https://sol.sapo.pt/artigo/660663/emprego-da-construcao-recupera

Construção está muito focada no segmento de luxo
Habitações para classe média não chegam para satisfazer procura. Reabilitação fez subir os preços das rendas A seguir Rendas sobem 268€ desde 2012 e prestações da casa

Ministério do Mar aprova candidatura para construção de nova ponte-cais em Sesimbra
APSS prevê lançar concurso de empreitada em Julho. Nova ponte-cais vai permitir separar barcos de pesca das embarcações de recreio A ministra do Mar, Ana Paula Vitorino,

Cidadãos ponderam travar construção de prédio da Portugália nos tribunais
A ausente, mas sempre presente na discussão, foi a Câmara de Lisboa, ainda que lá tenha estado o seu vice-presidente, que se manteve em silêncio. Projecto está em discussão

CML aprova construção de 267 casas de renda acessível – 116 são no Parque das Nações
A Assembleia Municipal de Lisboa (AML) aprovou, no início de novembro, o lançamento de mais duas operações no quadro do Programa de Renda Acessível (PRA). Ao todo serão

Luanda é principal mercado externo da construção portuguesa
Angola continuou a ser o principal mercado externo do setor português da construção, responsável por 28% da faturação no estrangeiro em 2017, o equivalente a 1.415 milhões

Desinteresse dos jovens ameaça setor da construção no prazo de uma década
A construção civil, a restauração e o turismo vivem realidades diferentes em Portugal entre os jovens que querem trabalhar, com o primeiro setor a sofrer do desinteresse e os