portugues ingles frances espanhol alemao
Apoio ao Cliente
9H-13H e 14H-18H

939 979 120

Faça Login ou
adira ao Portal Líder

Log In | Novo registo
Bem-vindo/a, Visitante
voltar

Construção mantém dinamismo no 2.º trimestre

2018-08-26

O Inquérito ao Emprego mostrou que trabalharam, em média, 315,7 mil pessoas na construção, uma subida de 12 mil em relação ao trimestre anterior. A seguir Falta de operários põe em risco crescimento da construção Mais vistas ECONOMIA MUNDIAL Estas nações vão mandar no mundo em 2050 RIQUEZA O que se pode comprar com 1 milhão de euros (o salário de Cristina Ferreira) DÍVIDAS Sabe quanto tempo demora uma dívida a prescrever? TECNOLOGIA Este smartphone é low cost por fora mas topo de gama por dentro A Federação Portuguesa da Indústria da Construção e Obras Públicas (Falta de operários põe em risco crescimento da construção) afirmou esta terça-feira que a construção mantém “o dinamismo” no 2.º trimestre, mas que há “uma quebra no valor lançado a concurso” em obras públicas. Em comunicado, com base na estimativa rápida das Contas Nacionais Trimestrais do INE, a FEPICOP referiu que o desempenho do setor da construção manteve-se positivo, “com a evolução dos diversos indicadores associados à sua atividade a revelar-se favorável”.

O Inquérito ao Emprego mostrou que trabalharam, em média, 315,7 mil pessoas na construção no segundo trimestre, numa subida de 12 mil em relação ao trimestre anterior. Em termos acumulados até junho, houve uma subida marginal de 100 trabalhadores para um total de 309,8 mil, na comparação homóloga. “A confirmar este aumento do emprego, regista-se uma quebra no número de desempregados oriundos da construção e inscritos nos centros de emprego: -26,5%, em maio”, segundo a informação da federação. Uma evolução positiva também foi notada no consumo de cimento, com as seguintes variações homólogas: +2,9%, +3,6% e +4,7%, até maio, junho e julho de 2018, respetivamente. Quanto ao investimento privado, o número de fogos habitacionais licenciados aumentou, em termos homólogos, 36% durante os primeiros seis meses, enquanto a área de construção licenciada subiu 33%. Na construção não residencial privada, o crescimento da respetiva área licenciada foi de 6% até junho, com aumentos de 48% nas áreas para comércio e 16% para a indústria. Em sentido contrário, as áreas de edifícios destinados ao turismo e aos transportes desceram 51% e 82%, respetivamente. “Só a evolução dos dados relacionados com o mercado das obras públicas, e apurados com base na informação disponibilizada no PortalBase, é menos animadora, já que no que concerne ao lançamento de obras regista-se uma quebra no valor lançado a concurso (-7% face ao primeiro semestre de 2017)”, lê-se. Porém, nos “contratos celebrados, a dinâmica é positiva, com o montante total dos contratos de empreitadas de obras públicas celebrados a crescer 12% em termos homólogos, até Junho”.

Fonte: https://www.dinheirovivo.pt/economia/construcao-mantem-dinamismo-no-2-o-trimestre/

CML aprova construção de 267 casas de renda acessível – 116 são no Parque das Nações
A Assembleia Municipal de Lisboa (AML) aprovou, no início de novembro, o lançamento de mais duas operações no quadro do Programa de Renda Acessível (PRA). Ao todo serão

Luanda é principal mercado externo da construção portuguesa
Angola continuou a ser o principal mercado externo do setor português da construção, responsável por 28% da faturação no estrangeiro em 2017, o equivalente a 1.415 milhões

Desinteresse dos jovens ameaça setor da construção no prazo de uma década
A construção civil, a restauração e o turismo vivem realidades diferentes em Portugal entre os jovens que querem trabalhar, com o primeiro setor a sofrer do desinteresse e os

AKI com os melhores números de sempre nas vendas através da internet
Julho foi o mês mais forte de sempre do AKI nas encomendas online, com os números a subirem 168% face ao mesmo período do ano passado e as visitas a crescerem 50%. Em valor

Portugal serve de inspiração a marca de decoração Williams-Sonoma
A casa de decoração, comida 'gourmet' e utensílios de cozinha Williams-Sonoma, que detém várias marcas nos Estados Unidos, criou a coleção 'Destination:

Faltam pedreiros e carpinteiros na construção civil em Portugal
Passados dez anos, a crise na construção civil deixou marcas. Hoje, ofertas de emprego nesta área não faltam, o difícil é conseguir preenchê-las. A crise na construção